Buscar

3 dicas para aproveitar o final de ano sem tretas com o ex por causa dxs filhxs


Finais de ano costumam ser bastante conturbados para genitores que dividem a guarda dos filhos e, consequentemente, para advogadxs familiaristas também.


Isso ocorre porque, devido a uma falta de planejamento – ou feito de forma equivocada e incompleta – criam-se expectativas sobre as comemorações de final de ano junto a criança ou adolescente e à família.


Muitas vezes essa falta de sintonia vira decepção, disputa e discussão quando planos (individualmente arquitetados) são frustrados.


A convivência com xs filhxs é direito de ambos xs pais e das próprias crianças e adolescentes, inclusive no que tange as festas de final de ano e férias. Para evitar que o Papai Noel traga brigas ao invés de presentes, aqui vão três dicas:


1) ANTECIPE=SE: Não espere a ocorrência de discordâncias sobre quem ficará com o(a) filho(a) no natal ou ano novo. Tenha um plano parental previamente acordado, estabelecendo como será a divisão nas festas. Estipule, além da data, hora e local onde cada genitor irá buscar o (a) filho (a).


2) SEJA DEMOCRÁTICA: Converse com o outro genitor sobre a conveniência de datas para cada um, a fim de distribuírem equitativamente. Dentro do possível, consulte-a criança e adolescente sobre suas preferências, deixe-o participar desse processo. Explique para a criança como será alternância de períodos entre ambos, isso trará mais segurança e estabilidade.


3) REGISTRE: Se houver descumprimento no acordo, registre: "Oi Fulano, tudo bem? Você vem buscar a ciclaninha hoje conforme o combinado? Ela já está pronta." Essa medida é imprescindível para provar que a ausência do direito/dever de convívio se deu exclusivamente em razão do desinteresse da outra parte, protegendo-a de uma acusação de alienação parental por ter obstaculizado a convivência.


Dia 20 de dezembro inicia o recesso forense, no qual os prazos são suspensos até dia 20 de janeiro.


Estabelecer essas questões antes de que efetivamente ocorram permite que todos possam aproveitar melhor as festas, evitando desgastes desnecessários. Procure sua advogada de confiança para estabelecerem juntas um plano que contemple os interesses de todxs. A advocacia preventiva é altamente eficaz e consideravelmente menos agressiva.


Leia também sobre o que pode constar em um plano parental e como fazê-lo: https://www.instagram.com/p/CGqPPb1sViF/


11 visualizações0 comentário