Buscar
  • Isadora Balem

O que fazer se o genitor some por meses?


O pai do seu filho/filha já passou meses sem conviver com a criança, sequer ligou para ver como ela estava ou pediu para fazer uma videoconferência?


Sumiu durante um tempo – atolado de trabalho né – e um belo dia de sol primaveril reapareceu, sem avisar óbvio, querendo vê-lo.


Estranhou como a criança cresceu, como ela não gosta mais que chamem ela daquele apelido infantil e notou que o/a filho/filha não carrega mais o brinquedo a tiracolo.


No entanto, não foi só ele que estranhou: a criança também não tem mais intimidade com o próprio pai. Fez birra, chorou, não queria ir sozinho com o genitor, afinal estão há tantos meses sem qualquer contato.


Essa situação é mais comum do que se imagina e quando o pai reaparece, coloca a mulher em uma situação difícil: ou obriga o/a filho/filha a ir contra a sua vontade ou é acusada de estar “colocando minhocas” na cabeça da criança e dificultar o contato entre eles.


Para evitar qualquer uma delas, aqui vão algumas dicas:

📝Comunique-se com ele sempre por escrito seja e-mail ou whatsApp.


📌Explique- de forma mais objetiva possível – os motivos pelos quais a criança está oferecendo resistência.


🤬Evite cobranças e discussões a respeito do comportamento dele (lembre-se que estamos falando de alguém que ficou meses se ver o filho, não é uma lição de moral sua que vai introjetar responsabilidade).


😴Explique que a reaproximação deve ser gradual para que a criança possa se sentir novamente confortável e à vontade na presença dele e, se possível, sugira formas de como isso pode ocorrer, respeitando o melhor interesse do filho.


Não permita que ele desloque a culpa pela ausência de laços afetivos entre ele e o filho para você!

5 visualizações0 comentário