Buscar
  • Isadora Balem

Registre quando ele disser para você parar de trabalhar!


Alguém já escutou – ou conhece alguém que ouviu – frases semelhantes às transcritas acima?


O destino comum da maternidade a todas as mulheres é reforçado pela atribuição das tarefas de cuidado essencialmente às mães. Paralelamente a isso, mulheres recebem menos no mercado de trabalho. Essa mistura faz com que famílias optem que a mulher pare de trabalhar e assuma a responsabilidade dos cuidados e educação dos filhos, já que financeiramente o valor que ela percebe acaba sendo todo consumido para o pagamento da creche/babá e a família entende como mais interessante que ela cuide dos filhos ao invés de um terceiro.


Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o afastamento para a dedicação exclusiva à maternagem acentua essas assimetrias. E quando não for mais necessário que ela cuide dos filhos, a diferença salarial entre ela e o marido será ainda maior: muitas vezes ela se encontra totalmente dependente dele financeiramente.


Esse ciclo é composto, ainda, pela crença de que muitas mulheres “não fazem nada, não trabalham, e que querem tirar vantagem dos maridos trabalhadores”, já que desconsidera:

a) a dedicação dessa mulher à família;

b) o sacrifício da própria carreira;

c) que a decisão foi de comum acordo ou, muitas vezes, uma sugestão do homem.







Digo isso porque é muito comum que no momento da separação os homens utilizem adjetivos, como no trecho acima, para designar a ex mulher que passou anos cuidando da prole comum a fim de negar qualquer pretensão em relação a alimentos que faça jus. Com isso desqualificam anos de dedicação, tempo e energia dessa mulher, taxando-a de aproveitadora ou preguiçosa.


Se essa for a opção que você e seu marido fizerem e você se sentir tranquila com isso, não há nada de errado. O meu alerta é que você tenha ciência de possíveis repercussões dessa escolha no momento da separação.


O que fazer então? A dica é registrar a decisão comum do casal de que você sacrifique sua carreira em prol da família ou que isso tenha sido uma sugestão dele, isso pode ser feito através de simples prints ou áudios. Um pacto antenupcial também pode ter a finalidade de resguarda alimentos na separação.



Consulte uma advogada de sua confiança!




7 visualizações0 comentário