Buscar
  • Isadora Balem

Saiba o quanto ele ganha


Mulheres raramente são ensinadas ou socializadas para gerir dinheiro. Existe uma cultura em que os homens são os responsáveis pela casa e família: não apenas de prover o sustento, mas também de controlar o dinheiro que entra. Parece mesquinhez ou interesse quando esse assunto vem à tona por parte das mulheres.


Assim a esposa fica alienada das finanças e valores que dizem respeito a ela mesma: não sabe o quanto o marido ganha; desconhece as a quantidade de bens e os respectivos valores que constituem o patrimônio do casal.


Qual o problema disso?


Além da concentração do poder financeiro no homem, esse desconhecimento (e a consequente ausência de comprovantes, recibos e documentação) pode ser um grande empecilho no momento do divórcio ou de solicitar alimentos para si e para os filhos.


No divórcio é preciso listar (e comprovar a existência) todos os bens que compõem o patrimônio do casal para que seja feita uma partilha justa. Além dos veículos e imóveis, é necessário elencar também os valores em contas corrente, aqueles pendentes de recebimento em processos judiciais além das dívidas do ex casal.


Saber a situação financeira do parceiro é igualmente importante no momento de pedir pensão alimentícia para si ou para os filhos, na medida em que os alimentos são fixados com base na necessidade comprovada de quem pede e possibilidade de quem paga.


Demonstrar que a renda dele é suficiente para custear o valor pleiteado é indispensável, portanto, quanto mais elementos você souber sobre isso, mais tranquila se torna essa tarefa.


Mulheres têm saído muito empobrecidas de divórcios – litigiosos ou consensuais – em razão da chantagem na disputa de guarda e outros elementos de violência psicológica e patrimonial. O desconhecimento da situação financeira aumenta ainda mais a vulnerabilidade econômica dessas mulheres.


Inicialmente pode parecer chato, mas é libertador no momento das desavenças.

4 visualizações0 comentário