Sou obrigada a enviar mochila quando a criança vai para a casa do pai?



Antes de responder essa pergunta, gostaria de pontuar duas coisas:


👉 o compartilhamento da guarda Ă© exercer em conjunto a parentalidade, o que se reflete tambĂ©m na responsabilidade pelo cuidado e bem estar da prole;


👉 a convivĂȘncia Ă©, alĂ©m de um direito, um dever dos genitores. Ela nĂŁo se limita a ver o(a) filho(a) quando quiser e apenas para lazer. Envolve (ou ao menos deveria envolver) responsabilidade com as tarefas de higiene, alimentação e sono do filho, no perĂ­odo que estiver consigo;


Por isso sustento que nĂŁo, vocĂȘ nĂŁo Ă© obrigada a enviar uma mochilinha prevendo todas as necessidades da criança enquanto ela estiver com o pai.


Primeiro que ele deve fornecer um espaço e uma estrutura adequada para receber o(a) filho, sem que parece estar acampado a cada quinze dias. E isso envolve roupas, materiais de higiene e brinquedos.


Pai nĂŁo Ă© visita, nĂŁo Ă© rede de apoio. Ou nĂŁo deveria ser. Pai Ă© cuidador principal.


Segundo que esse genitor deve estar ciente da rotina de medicamentos que a criança normalmente utiliza, do tamanho de calça que veste, a marca de fralda que usa. Através de uma paternidade ativa e da participação na vida do(a) filho(a).


NĂŁo Ă© mĂĄ vontade nĂŁo mandar a mochilinha. MĂĄ vontade (para nĂŁo dizer outra coisa) Ă© culpar a mĂŁe pela ausĂȘncia de cuidado e responsabilidade com o prĂłprio filho.


O que vocĂȘ acha disso?

5 visualizaçÔes0 comentårio